quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Bastidores das viagens do Sargento Lago






sábado, 2 de fevereiro de 2019

Meus desejos - Leitura coletiva do texto livro Papa Mike - A realidade do policial militar




Meus desejos

Desejo ser uma pessoa livre, ter amigos desencanados, de mente aberta, conversa leve, sorriso solto e abraço franco.

Reivindico o direito de ser criança e rir das coisas sem noção, mas sem perder a credibilidade ao tratar de assuntos sérios, sabendo usar da experiência sem ser chato.

Não quero ser julgado pela minha profissão ou por gostos pessoais. Sequer pelo que conquistei e, pior, pelo que deixei de conquistar. Dispenso os rótulos e nem reconheço qualidades e deficiências nas pessoas por eles.

Não quero perder esta preciosidade que é o tempo preocupado com assuntos que não terão significado no minuto seguinte. Exceto se for para filosofar coisas banais com bêbados, andarilhos e insanos. Porque eles não estão preocupados com a forma, às vezes nem sequer com o conteúdo. Mas também não são juízes cruéis... Esse tempo perdido assim me dá prazer.

Quero erguer uma criança e colocá-la sobre os ombros, para que sinta a experiência da altura. E espalmar as mãos no chão e descansar o queixo sobre elas, para ter a visão privilegiada do engatinhar de um bebê.

Quero sentar na porta de um barraco e ouvir do morador os anseios. E respeitar os seus sonhos - a única coisa que talvez conquistará na vida.

Quero tocar violão numa roda de intelectuais, ouvindo teorias que desconheço, pelo mero prazer de escutar coisa diferente. De gente que não trilhou o mesmo caminho, mas cuja trajetória eu respeito. Quero viver o amor que me foi negado e ser mais compreensivo com as pessoas, tal como desejei para mim. Sobretudo, quero ser compreendido pelas minhas filhas, assim como um dia tive o entendimento da minha relação com o meu pai.

Que a atenção que neguei não me faça falta. Que as palavras ríspidas que disse e ouvi se tornem sem efeito. Que o amargo da boca pelos sapos engolidos perca o seu travo até ficar doce. Mas não demais, para não causar o mesmo desconforto do estágio inicial.

E que eu esteja mais perto de Deus. Por gratidão e, principalmente, pela adoração.

Sargento Lago - Meus desejos - Livro Papa Mike - A realidade do policial militar