quinta-feira, 30 de julho de 2009

Papéis de parede da Rota




Clique sobre a imagem, depois salvar como.







segunda-feira, 27 de julho de 2009

Ô, Bombeiro, é Fogo!

Justa homenagem aos bombeiros.

video

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Amizade entre Praça e Oficial

Desde que entrei para a caserna ouço alguém dizer: “Entre Oficial e Praça não existe amizade”. Se alguma Praça fosse mais próxima de um era rotulada de "puxa-saco".

Com o passar dos anos pude constatar que era apenas preconceito de alguns, querendo evitar esse contato com seus superiores.

Felizmente tive o privilégio de, ao longo dos anos, relacionar-me amigavelmente com Praças e Oficiais. Do Soldado ao Coronel.

O que preserva uma amizade é o respeito mútuo, e isso independe de hierarquia.

Mas, o que motivou escrever esse post não são meus muitos amigos policiais militares de São Paulo, que sempre estou mencionado aqui no blog. Hoje quero falar do meu amigo, Coronel da PM do Paraná, João José Ramirez Junior.

Tudo começou quando uma Soldado Feminino paranaense enviou ao Coronel Ramirez uma música minha em mp3. Ele gostou tanto que procurou saber quem eu era. Logo descobriu meu perfil no Orkut e, em seguida, o MSN. De imediato externou sua admiração pelo trabalho e começou negociar um show em Curitba. Pouco tempo depois me apresentei no Teatro Oscar Nyemaier e, menos de um ano depois, retornei para fazer o show no Teatro Guairinha.

O que marcou nessa relação foi o desprendimento do Coronel em relação a diferença hierárquica que existia entre nós. Tratou-me o tempo todo com muita distinção.

Logo que cheguei, na primeira vez que lá estive, fui recepcionado por dois policiais no aeroporto. Eles me conduziram direto para uma reunião que acontecia no Quartel do Comando Geral, para tratar da produção do show. Lá, conheci o meu anfitrião que me apresentou as demais pessoas que faziam parte daquela reunião da seguinte forma: “Lago, aqui estão o Capitão, que é o maestro, a Major, Chefe das Relações Públicas, demais Oficiais e Praças que vão cuidar da produção do seu show e eu, o Coronel, comandante. Mas, aqui você é General”. Referindo-se a liberdade que eu teria para opinar nos assuntos que ali fossem tratados.

Nossa amizade fortaleceu ao ponto de, pouco tempo depois, a seu convite, eu ir com a minha esposa passar uns dias na sua casa de praia, no litoral paranaense. Lá, novamente, ele e sua família nos receberam muito gentilmente.

Certo dia, durante minha estadia por lá, fiquei sabendo que o Sargento Isaías, da banda da PMPR e que eu mantive bom contato também, estava passando férias lá na mesma cidade. Encontramos-nos e depois fomos juntos fazer um samba na casa do Coronel. Num certo momento, à distância, observei uma conversa do Cel Ramirez com o Sgt Isáias: “Isaías, você me deixou muito feliz vindo na minha casa compartilhar esses momentos conosco”. Ou seja, ele não estava sendo gentil apenas com o Sargento que vinha de outro Estado, mas também com o de sua própria polícia.

Nesse último domingo fiz uma ligação para o meu amigo lá em Curitiba. Está se recuperando de uma cirurgia muito delicada e, logo a seguir, terá que fazer outra, para resolver de vez o problema que lhe aflige.

Ao grande amigo, Coronel Ramirez, os meus votos de melhoras. As lições que aprendi com o senhor de humildade, respeito ao próximo e generosidade estão gravadas em minha mente e no meu coração.

Saúde, bom comandante!


Na reunião: "Aqui você é general!"
Na reunião: "Aqui você é general!

Cel Ramirez e Kátia, sua esposa, após meu show no Teatro Oscar Nyemaier, em Curitiba/PR.
Cel Ramirez e Kátia, sua esposa, após meu show no Teatro Oscar Nyemaier, em Curitiba/PR.


terça-feira, 21 de julho de 2009

História da Rota

200px-logo_rota1

Com o advento da República o então Corpo Policial Permanente foi, em 1º de dezembro de 1891, dividido em quatro Corpos, passando a denominar-se Força Pública, momento em que o batalhão foi chamado de 1º Corpo Militar de Polícia, cuja missão era manter a tranqüilidade, auxiliar a justiça e defender as Instituições Republicanas.

Após inúmeras denominações, passou a ostentar, a partir de 15 de dezembro de 1975, seu nome atual. 1º Batalhão de Polícia de Choque Tobias de Aguiar.

Marcando, desde a sua criação, a história desta nação, este Batalhão teve seu efetivo presente em inúmeras operações militares, sempre com participação decisiva e influente, demonstrando a galhardia e lealdade de seus homens, podendo ser citadas , dentre outras, as seguintes campanhas de Guerra:

Campanha do Paraná, em 1894, conhecida como Revolta da Armada, quando defendeu a República dos Federalistas, avançando de Itararé – interior de São Paulo – até Curitiba – Paraná;

Questão dos Protocolos, em 1896, quando defendeu a capital do Cônsul da Itália, que revoltou-se pela morte de imigrantes alistados nas Forças Legais;

Guerra de Canudos, em 1897, sendo responsável pelo último combate que derrubou o Reduto de Canudos, comandado por Antônio Conselheiro. Suas ações foram positivamente citadas no livro “Os Sertões”, de Euclides da Cunha, que a ele se referia como “Batalhão Paulista”;

Levante do Forte de Copacabana, em 1922, defendendo as fronteiras do Estado contra as invasões vindas do Paraná;

Revolução Constitucionalista de 1932, quando o povo paulista lutou pelo retorno do Brasil à Constitucionalidade, aclamando Pedro de Toledo como governador;

Golpe de 1964, quando participou da derrubada do então Presidente da República João Goulart, dando início ao regime militar com o General Castelo Branco;

Campanha do Vale do Rio Ribeira do Iguape, em 1970, para sufocar a Guerrilha Rural instituída por Carlos Lamarca.

O Quartel

btafrente

O Batalhão Tobias de Aguiar, criado em primeiro de dezembro de 1891, foi o terceiro Quartel construído no então Corpo Policial Permanente. Projeto de autoria do notável arquiteto Ramos de Azevedo e inspirado na arquitetura militar francesa, de estilo surgido na Europa, na primeira metade do Século XIX, com o nome de “Estilo Pós-Napoleônico”. Teve como modelo um Quartel da Legião Estrangeira Francesa no Marrocos.

Em seu subsolo há uma rede de túneis que faziam ligações com os quartéis vizinhos e com a estação ferroviária.

O material para sua construção veio de diversas partes do mundo: telhas da França, tijolos da Itália e pinho de Riga, na Letônia.

Atualmente, o prédio é patrimônio histórico e está tombado pelo CONDEPHAAT.

Além do túnel, há a chaminé, situada do lado externo, próximo ao prédio, que serviu de referencial, durante a Revolução de 1924, contando hoje com marcas de disparos de canhões em quatro pontos.

Brasão do Batalhão Tobias de Aguiar


brasaobta

Criação: Decreto Nº 20986 de 1º de Dezembro de 1951. Escudo: Bicudo, em estilo francês esquartelado. Seu Significado:

1º Campo - Superior Esquerdo: Em goles (vermelho), que simboliza a audácia, grandeza e espírito de luta, cinco asas de águia em santor que é o símbolo da rapidez nas expedições militares, em ouro que simboliza o esplendor, a soberania e a constância.

2º Campo - Superior Direito: Em ouro com duas faixas diminuídas que simboliza o cinto do cavaleiro, abaixo destas, três flores-de-lis de goles (vermelho), na parte inferior, um escudo em fundo branco que é a simbologia da pureza e do ideal, uma águia em sable (negro) e a direita outras três faixas em sinople (verde) que é a simbologia da vitória, honra e civilidade.

3º Campo - Inferior Esquerdo: Em ouro, cinco merletas em santor que simboliza a indicação dos inimigos vencidos em batalhas, em sable (negro) que é a simbologia da simplicidade, sabedoria, ciências e honestidade.

4º Campo - Inferior Direito: Em ouro, uma águia de goles (vermelho) e membrana de negro, que é a simbologia do poder, da vitória e da prosperidade, o que identifica o apelido dos AGUIARES e do 1º Batalhão de Choque "TOBIAS DE AGUIAR".

ROTA - A História dos Boinas Negras

Este grupo iniciou-se a se destacar ao sufocar o foco guerrilheiro rural atuante no Vale do Ribeira, com a participação ativa do então denominado Primeiro Batalhão Policial Militar “TOBIAS DE AGUIAR”.

Os remanescentes e seguidores, desde 1969, de Carlos Lamarca e Carlos Marighella continuam a militância na capital de São Paulo e na Grande São Paulo. Ataques a quartéis e sentinelas, assassinatos de civis e militares, seqüestros, roubos a bancos e ações terroristas.

Mais uma vez dentro da história, o Primeiro Batalhão Policial Militar “TOBIAS DE AGUIAR”, sob o comando do Ten Cel. Salvador D'Aquino, é chamado e, desta vez, no combate à guerrilha urbana.

Havia a necessidade da criação de um policiamento enérgico, reforçado, com mobilidade e eficácia de ação. Incumbe-se à 2ª Cia de Segurança do Primeiro Batalhão Policial Militar, exclusivamente de Tropa de Choque, a iniciar o Patrulhamento Ostensivo Motorizado no Centro de São Paulo.

Surge então o embrião da ROTA, a Ronda Bancária, que tinha como missão reprimir e coibir os roubos a bancos e outras ações violentas praticadas por criminosos e por grupos terroristas.

Em 15 de outubro de 1970, este “embrião” passa a denominar-se Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar – ROTA. É instalada na sede do “Batalhão Tobias de Aguiar” a central de comunicações com a finalidade de apoiar as viaturas em serviço.

No dia primeiro de dezembro de 1970, data do aniversário do “Batalhão Tobias de Aguiar”, foi apresentada ao público uma inovação que viria caracterizar ainda mais os Policiais desta Unidade: a Boina Negra.

Um policiamento especializado, criado para atender todo tipo de ocorrência, em especial as que o policiamento comum não tinha condições de fazê-lo.



crédito: informações e fotos extraídas do site do 1º BPChq

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Influências conflitantes


Fã do Sargento Lago e de rappers que criticam a polícia.
Fã do Sargento Lago e de rappers que criticam a polícia.

Recebo muitas solicitações para adicionar novos amigos no Orkut, devido ao trabalho musical que realizo. Com isso, leio vários depoimentos que servem de feed back sobre a mensagem que transmito.

Recentemente uma coisa me intrigou. Aceitei o convite para adicionar um garoto que disse ser meu fã. Então, fui ao seu álbum de fotos para saber um pouco mais sobre ele e tive uma surpresa. Havia colocado foto minha em dois álbuns diferentes. Em uma delas colocou na legenda: “Sargento Lago... esse é o cara.”. Até aí, nada de surpresa, pois já constatei algo semelhante em outros álbuns. A surpresa foi ver quem eram os outros artistas que ele também admira. São vários rappers com mensagens antagônicas as minhas. Entre eles, Racionais MCs, Sabotage, 509-E, De menos Crime, MV Bill entre outros internacionais.

No lançamento do meu CD “Profissão Coragem” compareceram alguns admiradores que não têm nenhum vínculo com a polícia. Vieram quatro rapazes moradores da região do Pacaembu, reduto da classe média alta, e dois rapazes da Cidade Tiradentes, região carente da Zona Leste da Capital paulista, local inclusive que sofre forte influência do crime. De certa forma, fiquei feliz por entender que a minha mensagem estava sendo assimilada por classes sociais distintas e, com isso, o meu objetivo de aproximar a polícia da população por meio da música estava sendo alcançado.

Agora, no caso desse garoto a situação é diferente. Ele está num conflito muito grande entre aceitar a mensagem de valorização da polícia e as que criticam. E o pior, algumas inclusive fazem apologia ao crime.

Acredito que temos que refletir sobre isso e dar mais opções de influência positiva pra essa rapaziada, pois no momento de fazer a sua escolha isso vai pesar.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

O que uma escritora holandesa falou do Brasil

Recebi uma mensagem por e-mail que, por estar dentro da minha filosofia de vida de valorizar nossas instituições, vou postar aqui para que outras pessoas leiam.

bandeira_do_brasil

"Os brasileiros acham que o mundo todo presta, menos o Brasil, realmente parece que é um vício falar mal do Brasil. Todo lugar tem seus pontos positivos e negativos, mas no exterior eles maximizam os positivos, enquanto no Brasil se maximizam os negativos. Aqui na Holanda, os resultados das eleições demoram horrores porque não há nada automatizado. Só existe uma companhia telefônica e pasmem!: Se você ligar reclamando do serviço, corre o risco de ter seu telefone temporariamente desconectado. Nos Estados Unidos e na Europa, ninguém tem o hábito de enrolar o sanduíche em um guardanapo - ou de lavar as mãos antes de comer. Nas padarias, feiras e açougues europeus, os atendentes recebem o dinheiro e com mesma mão suja entregam o pão ou a carne. Em Londres, existe um lugar famosíssimo que vende batatas fritas enroladas em folhas de jornal - e tem fila na porta. Na Europa, não-fumante é minoria. Se pedir mesa de não-fumante, o garçom ri na sua cara, porque não existe. Fumam até em elevador. Em Paris, os garçons são conhecidos por seu mau humor e grosseria e qualquer garçom de botequim no Brasil podia ir pra lá dar aulas de 'Como conquistar o Cliente'.. Você sabe como as grandes potências fazem para destruir um povo? Impõem suas crenças e cultura. Se você parar para observar, em todo filme dos EUA a bandeira nacional aparece, e geralmente na hora em que estamos emotivos. Vocês têm uma língua que, apesar de não se parecer quase nada com a língua portuguesa, é chamada de língua portuguesa, enquanto que as empresas de software a chamam de português brasileiro, porque não conseguem se comunicar com os seus usuários brasileiros através da língua Portuguesa. Os brasileiros são vitimas de vários crimes contra a pátria, crenças, cultura, língua, etc... Os brasileiros mais esclarecidos sabem que temos muitas razões para resgatar suas raízes culturais. Os dados são da Antropos Consulting: 1. O Brasil é o país que tem tido maior sucesso no combate à AIDS e de outras doenças sexualmente transmissíveis, e vem sendo exemplo mundial. 2. O Brasil é o único país do hemisfério sul que está participando do Projeto Genoma. 3. Numa pesquisa envolvendo 50 cidades de diversos países, a cidade do Rio de Janeiro foi considerada a mais solidária. 4. Nas eleições de 2000, o sistema do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) estava informatizado em todas as regiões do Brasil, com resultados em menos de 24 horas depois do início das apurações. O modelo chamou a atenção de uma das maiores potências mundiais: os Estados Unidos, onde a apuração dos votos teve que ser refeita várias vezes, atrasando o resultado e colocando em xeque a credibilidade do processo. 5.. Mesmo sendo um país em desenvolvimento, os internautas brasileiros representam uma fatia de 40% do mercado na América Latina. 6. No Brasil, há 14 fábricas de veículos instaladas e outras 4 se instalando, enquanto alguns países vizinhos não possuem nenhuma. 7. Das crianças e adolescentes entre 7 a 14 anos, 97,3% estão estudando. 8. O mercado de telefones celulares do Brasil é o segundo do mundo, com 650 mil novas habilitações a cada mês. Na telefonia fixa, o país ocupa a quinta posição em número de linhas instaladas. 10. Das empresas brasileiras, 6.890 possuem certificado de qualidade ISO- 9000, maior número entre os países em desenvolvimento. No México , são apenas 300 empresas e 265 na Argentina. 11. O Brasil é o segundo maior mercado de jatos e helicópteros executivos. Por que vocês têm esse vício de só falar mal do Brasil? 1. Por que não se orgulham em dizer que o mercado editorial de livros é maior do que o da Itália, com mais de 50 mil títulos novos a cada ano? 2. Que têm o mais moderno sistema bancário do planeta? 3. Que suas agências de publicidade ganham os melhores e maiores prêmios mundiais? 4. Por que não falam que são o país mais empreendedor do mundo e que mais de 70% dos brasileiros, pobres e ricos, dedicam considerável parte de seu tempo em trabalhos voluntários? 5. Por que não dizem que são hoje a terceira maior democracia do mundo? 6. Que apesar de todas as mazelas, o Congresso está punindo seus próprios membros, o que raramente ocorre em outros países ditos civilizados? 7. Por que não se lembram que o povo brasileiro é um povo hospitaleiro, que se esforça para falar a língua dos turistas, gesticula e não mede esforços para atendê-los bem? Por que não se orgulham de ser um povo que faz piada da própria desgraça e que enfrenta os desgostos sambando. É! O Brasil é um país abençoado de fato. Bendito este povo, que possui a magia de unir todas as raças, de todos os credos. Bendito este povo, que sabe entender todos os sotaques. Bendito este povo, que oferece todos os tipos de climas para contentar toda gente. Bendita seja, querida pátria chamada Brasil!! Divulgue esta mensagem para o máximo de pessoas que você puder. Com essa atitude, talvez não consigamos mudar o modo de pensar de cada brasileiro, mas ao ler estas palavras irá, pelo menos, por alguns momentos, refletir e se orgulhar de ser BRASILEIRO!!! Wellington A. Oliveira - Colaborador"




quinta-feira, 16 de julho de 2009

Melhor ouvir o “NÃO”


nao

Talvez eu seja impaciente, pode ser. Mas, gosto de objetividade. Se vou, digo que vou. Se não, também digo. Caso esteja em dúvida entre ir e ficar e alguém espera essa resposta, para que não fique no “ar”, digo quando direi. A verdade é que não consigo deixar ninguém esperando.

O que tenho percebido ao longo dos anos é que cada pessoa tem uma forma de dizer não.

Intercedi junto a um amigo em favor de outro amigo. O pedido era simples, talvez exigisse um pouco de empenho dele, mas não gastaria nada além de um pouco de sua influência. De imediato sinalizou que providenciaria. O amigo que eu ajudava ficou muito feliz. Contudo, aos poucos comecei perceber que a solução estava longe de acontecer. Como tenho liberdade para tal, cobrei várias vezes. Mas, aí ficou claro pra mim que a resposta havia sido política, ele realmente não estava se empenhando. Fiquei aborrecido. E o pior, sem jeito junto ao amigo necessitado.

Numa outra oportunidade fiz a solicitação de ajuda para mim mesmo. Como fico mais a vontade para ajudar as pessoas e sem jeito quando é para cuidar dos próprios interesses, preferi fazer o pedido via e-mail, pois é uma das muitas formas de comunicação no mundo moderno. Mas, para minha frustração, não obtive nem a resposta automática que o e-mail foi lido. (A pessoa tem a opção de clicar no “enviar resposta de leitura”).

Acho que o silêncio é a pior forma de dizer não. Pode dizer ou não as razões, mas diga o “não”. Acho mais considerável. Fazer diferente disso é dar voz ao silêncio. E nessas horas ele costuma ser impiedoso e não preserva o carinho que foi conquistado em anos de relação.

PS. Com esse post justifico aos amigos que esperam resposta da ajuda que tentei dar. E meu desabafo pessoal da própria ajuda que não consegui.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Márcio Moreno, PM que arrocha.

marcioamordepolicia1

Numa conversa com um músico da minha banda, ele me disse ficar admirado da maneira que eu arrumo tantos assuntos para fazer canções sobre o mesmo tema: polícia.

Dias desses, fazendo uma incursão pelo Youtube, tive a grata satisfação de acessar o clipe com a música "Amor de Polícia", de autoria de Márcio Moreno, o "Rei do Arrocha" e também policial militar da Bahia, trabalhando no SEVAP - Serviço de Valorização profissional.

Márcio, que é um sucesso consagrado, é precursor do Arrocha. Participou inclusive do Fantástico e do programa do Faustão, ambos da Rede Globo.

Sempre fez suas canções de amor, contudo nunca havia mencionado nelas ser um policial. Embora o tenha feito em suas entrevistas. Nunca omitiu sua condição profissional.

Dessa vez ele fez uma bonita música onde conta a história de um policial que se apaixona por uma mulher que salvou de um assalto.

Parabéns Márcio Moreno... mais um companheiro externando seu orgulho de ser policial.

Assista o clip clicando aqui.

sábado, 11 de julho de 2009

Rei do crime

Inversão de valores na educação
Inversão de valores na educação

Eu sou um cara movido a emoção. Quem acompanha meus escritos já deve ter percebido isso. Fico um tempão sem postar aqui no blog, mas se tiver alguma coisa que me incomoda escrevo quantas vezes for preciso.

Vivemos há muito a inversão de valores. Achei inclusive uma charge na internet que mostra a relação dos pais com os filhos e com a escola (acima). Antigamente eles cobravam do filho a nota baixa que tirava, nos dias atuais cobram dos professores.

Hoje vi no Youtube vários clips do Marcelo D2, artista que aprecio, contudo, fico indignado quando ele faz apologia ao uso da maconha. Péssimo exemplo. Quando, utilizando do seu carisma e talento, poderia motivar nossa juventude a ter uma postura mais cidadã, empenhando-se para um futuro promissor.

Agora, para finalizar o meu dia em tamanha indignação, vi na internet um novo jogo que está sendo oferecido principalmente para os adolescentes. É o "Rei do crime". Ganha o jogo quem for mais bandido. É aquilo que chamamos de marketing do crime. Na forma de entretenimento, estão formando novos marginais... francamente. Enquanto isso, assistimos tudo de braços cruzados... No futuro lamentaremos.

Poderia, mas não vou deixar o endereço desse jogo, embora saiba que se quiserem logo acham, mas tenho a política de não divulgar coisas que não contribuem para o bem.

Gente, a coisa tá feia... Como dizia Zé Geraldo... "Tudo isso acontecendo e eu aqui na praça dando milho aos pombos".

rei-do-crime2

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Novo comandante da Rota

telhada

O Tenente Coronel Paulo Adriano Lopes Lucinda Telhada assumiu o comando das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar, no final do mês de maio.

Telhada é o que podemos chamar de “polícia de rua”. Sempre foi da linha de frente. Por isso que a sua assunção é bem vinda pelos policiais e pela população.

Ter um comandante que conhece a língua do patrulheiro faz toda a diferença. Embora no passado ficássemos decepcionados com bons tenentes de rua que se tornaram coronéis e mudaram suas convicções, acredito que dessa vez não haverá frustrações.

Pra se ter a idéia de quem é o T Cel Telhada, essa matéria no Estadão traça um pouco do seu perfil.

Tive o privilégio de ser comandado por ele em 1989, quando foi meu tenente comandante de pelotão, na Rota Matutina.

Desejo-lhe meus sinceros votos de boa sorte nesse comando.

[gallery]

Fotos gentilmente cedidas: Ivan Monticelli

De vento em popa

Na rádio Nova Guaçu
Na rádio Nova Guaçu

Tenho tido novas experiências. Meu público, cada vez mais, tem se diversificado. Confesso que devo creditar a musica “Profissão Coragem”. Ela tem estreitado meu relacionamento com outros profissionais da segurança, sobretudo com os das guardas municipais. Aliás, estou tendo a satisfação de descobrir a intensidade da motivação e da integração entre os guardas municipais. Eles realmente vestem a camisa, demonstrando seu orgulho pela profissão dando saudações “Azul marinho”... Parabéns a todos, é esse o caminho. Por isso também têm o meu respeito e a minha admiração.

Por outro lado, tenho ganhado apoios maravilhosos na divulgação do meu trabalho. São emissoras de rádio que tocam a minha música, matérias em portais, blogueiros que reverberam a minha mensagem, como é o caso da paranaense Lilian Tamanini no “Blá, um bom papo”, enfim... O trabalho segue de vento em popa.

Com o Cmt Adorno da G M de Mogi Guaçu/SP
Com o Cmt Adorno da G M de Mogi Guaçu/SP