terça-feira, 17 de junho de 2008

Policial toma café de graça?



O aviso acima foi fotografado quando estava exposto em uma padaria aqui em São Paulo e enviado ao Jornal da Tarde, que publicou em 2006.

Antes de emitir a minha opinião sobre o que penso a respeito do chamado *QSA, quero traçar um paralelo com outras situações semelhantes e que não são recriminadas.

O cliente de um banco que faz altas movimentações financeiras goza do privilégio de não pegar fila, de ser atendido fora do horário comercial e consegue muitos outros benefícios.

Jornalistas costumam ganhar passagens aéreas e hospedagens dos clubes de futebol, para fazer a cobertura de torneios no exterior de menor expressão e que não despertaria o interesse da mídia.

As negociações geralmente costumam ser antecedidas de almoços e/ou jantares e as contas são pagas pela parte mais interessada na transação.

Enfim, têm muitos casos que eu sei, mas não estou lembrando no momento, em que existe a gentileza de um para com outro, com o interesse em algum benefício.

No caso do cafezinho que o policial toma e o comerciante não cobra também é assim. Sabidamente o dono da lanchonete, da padaria ou do restaurante faz isso porque quer garantir que sempre haja um policial por lá. Logo, com os marginais sabendo que o local é freqüentado assiduamente por policiais, diminui a possibilidade de assaltos.

Acontece que o comerciante quer garantir esse “policiamento” a um custo baixo, ou seja, na base do “pão com manteiga”. E nós sabemos que nem todo mundo quer comer o que ele está disposto a oferecer. Então um policial pede um lanche mais caro e o comerciante, que pode e deveria cobrar, não cobra. Aí vira uma bola de neve e resta ao comerciante apenas a opção de dar um basta, senão quebra.

Nunca fui muito favorável ao QSA, mas já me utilizei dele, confesso. Uma hora por insistência do comerciante, outra por estar meio duro. Mas sabia que aquele cafezinho poderia dar margem para o comerciante achar que eu devesse favor pra ele (se bem que se ele viesse cobrar isso iria ouvir poucas e boas). Então, quanto mais fui tendo consciência dessa situação, passei a apresentar o dinheiro ao caixa para ficar bem claro que a opção de não cobrar era dele e não uma necessidade minha.

Entendo que essa cultura não mudará, o que não podemos aceitar é a exposição negativa da imagem da instituição, por causa de um cafezinho.


*QSA: No código “Q” significa intensidade dos sinais de rádio, mas aqui em São Paulo também significa, na gíria, local onde se consome sem pagar.


5 comentários:

  1. companheiro, os caras andam fiscalizando os policiais que trabalham, que estao nas ruas para pega-los em possiveis deslizes. Isso é porque no fundo, no fundo nos culpam pelas "cassetas" do tempo da DITADURA. axo que é isso.

    ResponderExcluir
  2. Em certas situações isto é viciante e vergonhoso. Bem apresentados os exemplos em outras profissões, mas temos que ter o dobro de cuidado.

    ResponderExcluir
  3. Verdade. Tudo que se refere ao policial tem repercussão dobrada...

    ResponderExcluir
  4. O BANCO É PRIVADO, SE PÚBLICO(CAPITAL MISTO EM VERDADE) AINDA ASSIM ELE ESTÁ DANDO UMA VANTAGEM À QUEM LHE TRAS MUITO LUCRO.

    PELO CÓDIGO DE ÉTICA DA ABI O JORNALISTA OU MATÉRIA TÊM QUE TRAZER INFORMAÇÃO DE QUE A VIAGEM FOI BANCADA PELA INICIATIVA PRIVADA QUE TEVE O EVENTO COBERTO. OS BONS PROFISSIONAIS E OS BONS MEIOS DE COMUNICAÇÃO TÊM RESPEITADO A REGRA.

    PM: É SERVIDOR PÚBLICO, GANHA DO PODER PÚBLICO PRA COBRIR SEUS GASTOS. SE ESTÁ INSASTIFEITO COM A RENDA OBTIDA DEVE MOBILIZAR A CATEGORIA POR AUMENTO DE RENDA, DENTRO DA LEI OU PROCURAR OUTRO CONCURSO, QUEM SABE NA POLICIA FEDERAL SE CONSEGUIR PASSAR NO CONCURSO? A P.F.PAGA BEM. NÃO DEVE COBRAR OU EXTORQUIR DA SOCIEDADE POR "PROTEÇÃO" QUE, EM VERDADE, JÁ GANHA (SE MAL OU MUITO, CADA UM SABE DE SEU BOLSO) PRA FAZER. COMER E NÃO PAGAR É EXTORSÃO, ABUSO DE AUTORIDADE, QUANDO NÃO SE CONFIGURA COAÇÃO PSICOLÓGICA POIS SABE QUE O COMERCIANTE NÃO IRÁ COBRAR-LHE, DEVIDO AO MEDO DE QUEM USA ARMA. DE CAFEZINHO EM CAFEZINHO, DE LANCHINHO EM LANCHINHO JÁ VI UNS 03 QUE QUASE QUEBRARAM POIS JA ESTAVAM ATÉ MANDANDO DÚZIA DE PIZZA E LANCHES PORQUE ERA O ANIVERSÁRIO DE UM PM OU NÃO SEI O QUE DO OUTRO PM.
    MELHOR SERIA VCS, SE COMPROMETEREM A PAGAR, E ESPERAR SE O DONO VAI OU NÇAO LHES FAZER O "FAVOR" DE NÃO RECEBER. DEMONSTRA MAIS RESPEITO À SOCIEDADE, POIS, ESTA NAO PRECISA DE POLICIAIS QUE LHES FAÇA O ""FAVOR" DE PROTEGÊ-LA: ELA PRECISA DE "PROFISSIONAIS" QUE SAIBAM QUAL É O SEU PAPEL, SUAS FUNÇÕES, QUE AS DESEMPENHEM BEM SEJAM BEM REMUNERADOS E FAÇAM "JUS" À REMUNERAÇÃO E À FORMAÇÃO QUE RECEBERAM. VCS. AGEM COMO SE FIZESSEM FAVOR... PREFIRO OS QUE SE COMPORTAM PROFISSIONALMENTE, POIS NÃO DEVO FAVOR A NINGUÉM, CUMPRO COM MINHAS OBRIGAÇÕES DE SERVIDOR/EMPREGADO PÚBLICO (MAL REMUNERADO MAS NEM POR ISSO TRABALHO MENOS OU COBRO CAFEZINHO DE CIDADÃO) TAL COMO EXIJO QUE OS DEMAIS "EMPREGADOS DO PODER PÚBLICO E DA SOCIEDADE" SE DEÊM O RESPEITO E RESPEITEM A SOCIEDADE PARA QUAL SÃO PAGOS A PRESTAREM SERVIÇOS.

    ResponderExcluir
  5. OS POLICIAIS NÃO DEVERIAM ACEITAR POIS RECEBEM SALÁRIO PARA
    PAGAR SUA ALIMENTAÇÃO E ESTARIAM COMETENDO ILICITO.
    SIMPLES ASSIM ...

    ResponderExcluir