terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Hoje eu tive um sonho

Fazia tempo que o galo tinha cantado, quando acordei. Constatei que minha esposa já havia levantado para trabalhar. Dei uma espreguiçada de cama inteira e fiquei ali, com as mãos cruzadas debaixo da cabeça, lembrando como foi minha noite de plantão. Quer dizer, minha noite de sono. É que eu estava com a sensação de ter acabado de chegar do quartel, pois sonhei a noite inteira com o meu serviço de policial.

Meu saudoso tio Goiotin já havia me alertado: Quando você se aposentar vai sonhar muito com a PM. Ele vivia me contando os seus sonhos.


Embora acreditasse no meu velho tio, não imaginava que isso seria possível. Essa noite descobri que sim.


Foram situações diversas. Lá estavam todos os meus companheiros. Brinquei saudoso com os mais íntimos, evitei os que não conseguimos nos compreender, porém sem resentimentos e também participei de uma ocorrência.


O sonho me trouxe a sensação gostosa daquilo que foi a razão da minha existência. Atuar como servidor público.


Ah! Como é bom ser útil, contribuir, participar. Embora, durante a labuta, às vezes nos sentimos cansados e questionamos se vale a pena alguns sacrifícios que fazemos.


Todas as profissões são marcantes para quem as exercem. Mas, por ter começado a trabalhar aos 10 anos de idade - embora tenha sido por pouco tempo - tive várias atividades antes de ingressar na Polícia Militar e, por isso, imagino que poucas são as que reúnem a complexidade que é ser um policial.


Acredito que até mesmo quem trabalhou por muitos anos em serviço fisicamente pesado, em condições desfavoráveis e com pouco retorno financeiro não trás as marcas que tem um policial. As suas são visíveis. As do profissional de segurança nem sempre as são.


O meu sonho de hoje reforça um outro que tenho há tempos: trabalhar pela conquista de um mundo melhor.


Ainda que as circunstâncias insistam em nos fazer acreditar que é em vão, devemos perseverar para que isso um dia possa ser uma realidade para todos nós. No pior das hipóteses, manteremos acesa dentro da gente a chama da esperança que nos garantirá essa sensação gostosa de estar fazendo a nossa parte.

14 comentários:

  1. Oi professor!

    "Matar o sonho é matarmo-nos. É mutilar a nossa alma. O sonho é o que temos de realmente nosso, de impenetravelmente e inexpugnavelmente nosso".

    (Fernando Pessoa)

    Sou sua fã!

    ResponderExcluir
  2. Oi Novinha,

    Já que é nosso, que sejam os melhores...

    Obrigado pelo carinho. Também sou seu fã!

    ResponderExcluir
  3. Sargento,

    O que eu admiro nos seus textos é a forma clara de expor seus sentimentos. Desde que te descobri, sou frequentadora assídua do seu blog e percebo claramente a sua franqueza. Diz que tem amigos da mesma forma que não esconde ter tido imcompreensões com alguns. Ou seja, sua imagem não é maquiada... o que é, é. Num mundo cheio de pessoas supérfulas e artificiais... é bom ter essa referência positiva que vem de vc.

    C.T.

    ResponderExcluir
  4. Chefe,

    Desde que decidi fazer voluntariamente a sua divulgação, tenho ouvido histórias incríveis a seu respeito.

    Gostei de um depoimento no seu orkut onde uma Fox faz um relato da atenção que o senhor dava aos policiais sob seu comando no policiamento. Mas essa semana fiquei impressionado com o que me contou um vigilante. Disse que desistiu do suicídio por causa da sua música. Sem palavras.. por isso, cada vez mais, também sou seu fã. O senhor é lenda viva da policia.

    ResponderExcluir
  5. Olá Renato,

    Mais uma vez agradeço... Vocês estão fazendo um trabalho muito competente e tem me ajudado bastante. Vi também o Fã Club que vocês criaram...Valeu mesmo!

    Sei quem é esse rapaz que vc se referiu, ele me contou a história. Por essa vida já valem os anos na batalha, mas tenho reecbido muitos outros depoimentos... Me dão muito ânimo...

    ResponderExcluir
  6. Uma coisa me fez pensar... realmente tem hora que parece que não vale a pena viu...

    ResponderExcluir
  7. "O prazer no trabalho aperfeiçoa a obra"

    ResponderExcluir
  8. Olá caro amigo Lago. Seu texto está maravilhoso, mais que isso, reflete o pensamento de muita gente. Realmente não só na Policia, mais na vida comum de todos nós, pensamos que as vezes não vale a pena. Seja pela falta de valorização nas profissoes, pelo pessimo exemplo de alguns nossos governantes e pela desigualdade que reina no Brasil apesar da Constituição dizer outra coisa. Como sabe fiquei a frente de uma Ong social por quase cinco anos, e conheço um pouco da realidade do nosso país. Hoje não atuo mais, mais acredito como você que fiz a minha parte para a comunidade que moro. Grande abraço e paranbéns. Estamos anciosos pelo novo CD.

    ResponderExcluir
  9. Bruno e Claudio, obrigado pela visita.

    ResponderExcluir
  10. Zanforlim, ainda bem que a gente não depende de algumas autoridades para ter motivação e nem perdemos o ânimo com seus maus exemplos. Por isso continuamos com o mesmo desejo de servir.

    Estou aqui no estúdio, num intervalo de gravação... Acredito que vai valer a pena a espera.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  11. Gostaria muito que todos os policiais tivessem o perfil deste Guerreiro. Sentir prazer no trabalho que desenvolveu durante todos estes anos, ao invés de apenas reclamar do governo e da sociedade, é um dos motivos que me inspiram a querer fazer parte desta Instituição. Profissionais frustrados não me colocam mais para baixo, pois tenho os depoimentos do Sgt Lago para me confortar.
    Obrigada por existir e ser fonte de inspiração em minha vida Lago.

    Sou sua fã eterna.

    ResponderExcluir
  12. Obrigado Vi.

    Fico feliz de saber que existem jovens intusiasmados como vc, eu tb tenho mantido o meu... Temos que fazer a nossa parte, independente dos que não querem.

    ResponderExcluir