sábado, 29 de junho de 2013

Fernando Verdes e a sua escolha.


De tantas histórias que colecionei na carreira, a que seria apenas mais uma tornou-se mais que especial.

No dia 10 de junho de 2006 recebi por e-mail uma encomenda do meu CD “Profissão Coragem”, de uma pessoa que se identificou pelo nome de Fernando Verdes que, após fazer o depósito bancário, solicitou que enviasse para um endereço em Diadema.

Tempos depois, já com o CD em mãos, voltou a escrever para elogiar o trabalho musical e solicitar uma visita, pois – segundo ele, já acompanhava meu trabalho pela internet e que se sentia muito motivado a também ser um policial, contudo ainda estava terminando os estudos e também não havia atingido a maioridade.

Convidei que fosse a Diretoria de Ensino (Panelão), onde eu trabalhava - no setor de produção de Vídeo Treinamento - e ali poderíamos conversar.

No dia 10 de novembro de 2006 recebi a sua visita e a de outra pessoa que também havia feito o mesmo pedido.

Passamos alguns momentos conversando no quartel e depois me despedi dos visitantes.

No dia seguinte Fernando me enviou um e-mail falando sobre a mensagem que enviara ao seu irmão, tentando explicar-lhe o motivo pelo qual gostaria de ser um policial militar.

No dia 13/11/2006, gravei o clipe da música “Sendo Você”, de minha autoria, com as participações da Adryana Ribeiro e do grupo Art Popular, como mensagem de final de ano para a Polícia Militar.

As gravações aconteceram na casa de shows Cabral, no Tatuapé, em São Paulo, e estendi o convite aos admiradores do meu trabalho artístico. Lá compareceram algumas pessoas. Entre elas, Fernando Verdes, acompanhado de sua mãe.

Como foi um evento muito corrido não pude dar atenção aos convidados, pois era responsável pela direção do clipe, contudo cumprimentei a todos individualmente e, ao chegar no Fernando, me presenteou com uma caneta que tinha meu nome gravado e me apresentou a sua mãe com as seguintes palavras:

- Mãe, esse é o policial que eu falei para a senhora que me faz desejar seguir os passos dele.

Em seguida fizemos uma foto e pedi licença, pois teria que continuar meu trabalho.

Quando finalizamos a gravação do clipe, quase meia noite, para minha surpresa, o Fernando ainda estava lá e ainda fizemos outra foto, desta vez em companhia dos artistas e profissionais envolvidos na gravação.

Depois disso conversamos pela internet algumas vezes e outras ao telefone e fui acompanhando um pouco a sua história.

Era um rapaz de boa criação, religioso e muito compenetrado na atuação do bem. Tinha isto como missão.
Cheguei a receber e-mails dele solicitando doadores de sangue para uma pessoa que estava com leucemia e também para campanha de agasalho.

Trabalhou inicialmente como Soldado Temporário e depois finalmente ingressou como soldado da Polícia Militar do Estado de São Paulo, formando-se em 2011.

Havia perdido um pouco o contato com ele, mas soube que estava trabalhando no 40º BPM/M e que se formou em fisioterapia. Estava noivo e pretendia se casar no ano que vem.

Na última quinta-feira, dia 27 de junho, quando retornava do trabalho, já chegando a sua casa, foi abordado por marginais que descobriram que era PM, pois trazia consigo dentro da bolsa a farda da corporação, e o executaram.


Fernando morreu precocemente. Como um pássaro abatido durante o voo. 

Daqui da Áustria, onde me encontro neste momento num projeto de conhecer as polícias da Europa, engulo uma lágrima seca e sinto a dor de quem perde um filho. Não só por ter sido sua inspiração, mas por saber que morreu um rapaz que estava disposto a dar sua vida para salvar outras vidas e, no entanto, foi ceifado covardemente apenas por ter feito a escolha de ser um policial.

 Fernando Verdes comigo na gravação do clipe Sendo Você

Adryana Ribeiro, Art Popular , eu e Fernando Verdes

Abaixo o clipe que Fernando foi assistir a gravação com a sua mãe.

4 comentários:

  1. Que Deus console a família dele...

    Estranho, Sargento, mas chorei como se tivesse conhecido o rapaz.

    Beijo e boa viagem aí pela Europa!

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Que história triste! Que Deus traga conforto a toda família do rapaz!

    ResponderExcluir
  3. Conheci esse rapaz brevemente, quando ele foi escoltar um paciente internado no hospital onde trabalho, por ironia da vida, esse paciente foi roubar uma moto parada e o dono da mesma, um policial a paisana viu e atirou nele, o paciente ficou uns 40 dias internado na UTI mas sobreviveu... E esse jovem policial que vigiou esse criminoso todos esses dias nem teve a chance de lutar pela vida quando outros criminosos foram fazer o mesmo com ele... Muita ironia dessa vida e muito triste né... Mas... nem adianta tentar entender... Meus pesames a todos os familiares

    ResponderExcluir
  4. Nícolas Delguingaro15 de janeiro de 2016 11:51

    Pois e sargento, através dele eu fiquei conhecendo seu trabalho como músico da gloriosa, sou dois anos mais velho do que o verdes, quando ele entrou como SD PM temporário, eu ainda servia o exército.
    Após o término do serviço militar, fui soldando temporário no 11 BPM i em Jundiaí, ficando por dois anos lá.
    Ele era um amigo, uma irmão, um guerreio! Sinto sua falta!

    ResponderExcluir