sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Espírito Santo: Respeito à dignidade

Cabo Manente, segundo informou, é o 1º PM que assume união homoafetiva

Policiais que trabalham no Quartel do Comando Geral

Cheguei a Vitória no sábado à noite, dia 5/11, após uma maravilhosa viagem de trem, vindo de Belo Horizonte.

Descansei no domingo. Na segunda iniciei as visitas pelo Quartel do Comando Geral da Polícia Militar do Espírito Santo.

Conversei com várias pessoas. Uma delas, o Subtenente Bendinelli, que, além das suas atividades no setor administrativo, é voluntário para exercer o diaconato no serviço de assistência religiosa da PMES.

Ele faz visitas às famílias, celebrações, batizados, casamentos, bênçãos, participações nos aniversários dos batalhões, fazendo na prática tudo o que um Capelão faria, porém sem a nomeação, em razão de ser cargo de presbíteros, no caso, os padres. Para tal recebeu uma provisão do Arcebispo Militar do Brasil.

Mestre em Teologia e fazendo o doutorado na PUC do Rio de Janeiro, Bendinelli não recebe nenhum benefício da corporação pelo trabalho religioso que executa.

Estive em Cachoeiro de Itapemirim/ES e lá visitei a casa na qual o cantor Roberto Carlos morou em sua infância.

Depois fui ao batalhão da PM na cidade, onde conheci um grande comandante, o Tenente Coronel Guedes, não apenas pela sua estatura de 1,97, mas também pela qualidade do serviço que tem desenvolvido. Tem cuidado com zelo da segurança de sua cidade natal e dos policiais sob seu comando. Comprovei isto visitando uma sala que ele preparou para acomodar os Cabos e Soldados com mesa e cadeiras, geladeira, forno micro-ondas, sofá, TV digital, computador com acesso a internet e ar condicionado.

De volta a Vitória, fui saber um pouco da história do Cabo Manente, policial que teve recentemente reconhecida a sua união homoafetiva.

Embora haja controvérsias quanto a aceitação do público militar sobre a sua condição homossexual ter sido divulgada associando ao seu trabalho - já que Manente oficializou a sua união trajando a farda da PM capixaba - o Estado portou-se com respeito à dignidade humana do policial, ainda que o direito tenha sido garantido na justiça.


Cabo Ayrton, me acompanhou nas viagens a Guarapari e Cachoeiro do Itapemirim

Subtenente Bendinelli

Soldado Larissa e Tenente Libardi

Excelente recepção dos companheiros capixabas

2 comentários:

  1. Olá!!!

    Passeando pelo Espírito Santo?!

    Que maravilha!!!

    Ai, minha aposentaroria...

    ResponderExcluir