sábado, 13 de setembro de 2008

Geraldo Vandré no meu show, que emoção.


Eram oito horas da noite quando Vandré chegou. Foi um dos primeiros. Ainda estávamos fazendo os acertos finais, antes de trocar de roupa para o show. Acomodou-se na mesa mais distante que tinha do palco, estrategicamente programado, para não ficar no meio da muvuca. Tão logo finalizamos a passagem do som, fui ao seu encontro cumprimentá-lo e avisar que logo voltaria.

Quando começamos o show, eram dez da noite. Corri os olhos para constatar e vi que permanecia no mesmo local, escondido atrás dos óculos escuros.


Fui cantando as canções do Cd “De Polícia”, intercalando com as do “Profissão Coragem”, até que chegou o momento de “Pra não dizer que não falei das flores”, canção de sua autoria que regravei nesse último trabalho. Como sabia que ele poderia não gostar de ser anunciado como estando ali no show, apenas fiz menção de que era uma homenagem a ele e que é um amigo por quem tenho muito carinho.

Pouco tempo após o início da canção, o cinegrafista, que sabia que ele estava lá, virou a câmera para o seu lado. A distância fui acompanhando tudo. Quando voltou o enquadramento para o palco, Vandré se levantou e foi saindo lateralmente. Pensei: vai embora, ficou aborrecido. Mas, para minha surpresa, foi ao meu encontro me cumprimentar. Confesso que foi uma emoção indescritível. Em seguida, acenando pra mim, foi descendo as escadas em direção a saída.


Ontem ele completou 73 anos de idade. Embora tenha tantas estórias sobre o seu passado, Vandré continua caminhando e seguindo a canção, pena que não cantando mais.


Um comentário:

  1. Esta canção foi e sempre será um épico em todos os tempos! Gostei da sua interpretação e me emocionei ao constatar que Geraldo Vandré se fazia presente parabéns!

    ResponderExcluir